Buscar
  • Ballet Maior

A respiração na dança


A respiração influencia nossas ações e emoções, sendo também por elas influenciada. Entretanto, podemos intervir no ato respiratório de modo consciente e voluntário, variando de múltiplas maneiras a forma de respirar.

A respiração espontânea parece se repetir incessantemente. No entanto, se observarmos em nós mesmos ou escutamos alguém respirar em diferentes situações, podemos constatar que o ato respiratório muda muitas vezes.

A respiração pode ocorrer sobretudo nas costelas ou no abdome. Ela pode ser mínima, quase imperceptível ou, ao contrário, ter uma amplitude e força considerável. Pode mudar de velocidade e de ritmo. Ora ser silenciosa. Ora ser mais ruidosa.

O que existe em comum para todas as respirações é a alternância incessante dos movimentos de ida e vinda, a inspiração e a expiração, ritmados por tempos de parada denominados de apneias fisiológicas.

A harmonia entre o ato respiratório e o gesto corporal poderá facilitar a oxigenação dos tecidos e enriquecendo os movimentos corporais, seja em um movimento de alongamento ou de força para modificar o tônus muscular. Essas modificações do tônus muscular combinadas com o ato respiratório poderão refinar muito a precisão das sensações e da sua consciência corporal.

Portanto, preste atenção a sua respiração durante suas aulas.

A respiração correta auxilia nos seus movimentos, tanto de contração como no relaxamento muscular, além de contribuir na expressividade do seu movimento.


Inspire! Expire! E dance sempre!

Ballet: a arte que encanta.



Texto elaborado por Priscila Monsano, fisioterapeuta, bailarina e bióloga.


Referência bibliográfica: GERMAIN, B. C. Respiração: anatomia - ato respiratório. São Paulo: Manole, 2005.

57 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Whatsapp
(11) 96175-0214